Reading Time: 4 minutes

Todo mundo é criativo. Soube disso desde cedo, através das paredes da minha casa...

Lembro que era bem pequena quando comecei a pegar o giz de cera e fazer os primeiros riscos na parede...

Recordo-me que risquei praticamente todas as paredes da casa de minha vó.

Foram bonecos, esboços de letras.

Minha arte e a da minha irmã ficaram na parede. Não houve censura.

Cresci. E me lembro como se fosse hoje da parede imensa de azulejos da minha casa.

Quer dizer, para as demais pessoas era uma parede de azulejos, mas, para mim e minha irmã, sempre foi uma grande louça.

Era nessa parede que resolvíamos as questões de física, química, matemática. Era nessa parede que repassávamos os conteúdos de português, história e geografia. Foi assim do ensino fundamental ao médio.

Eu cresci escrevendo em paredes. 

Minha família nunca censurou os riscos, pelo contrário, estimulava.

E hoje vejo que esse ato foi um grande diferencial no treino da minha criatividade.

Essa liberdade em riscar paredes talvez é a razão de eu ter aprendido a colocar emoções para fora através da escrita.

Tanto é que, quando já estava na universidade, lembro de um dia ter chegado em casa triste, inconformada com uma questão que eu errei na prova e sabia o assunto. A única forma que achei para extravasar o que estava sentindo foi escrevendo na parede do meu quarto frases de um dos meus grandes ídolos: Ayrton Senna.

Hoje, diante de um cenário de revolução industrial 4.0, a criatividade é uma das principais habilidades do futuro.

Quem fala muito bem sobre isso é o Murilo Gun. Você o conhece? Se não, dá uma olhada nesse link.

Baseando-se na teoria de inteligências múltiplas de Howard Gardner e um curso que ele fez na Singularity University (NASA), ele criou uma teoria que estabelece as 4 principais habilidades requeridas no mercado de trabalho atual e do futuro. Seguem:

- Inteligência interpessoal: Capacidade de se relacionar, pessoalmente e profissionalmente, com outras pessoas, além de entender seus desejos e pensamentos, para conseguir conectar-se com elas. Tem muita relação com a capacidade de liderança.

- Inteligência intrapessoal: Tem a ver com a capacidade de conectar-se consigo mesmo. É conseguir alcançar autoconhecimento e autocontrole, dominando melhor, assim, emoções e estresse.

- Inteligência criativa: É a habilidade de pegar qualquer uma das demais inteligências e aplicar de forma inovadora. Ser capaz de fugir dos padrões e das resposta pré-definidas como as melhores práticas. Pensar de forma original e encontrar soluções inovadoras para os problemas.

- Inteligência interartificial: É a capacidade de entender as potencialidades da inteligência artificial e da robótica, não apenas para se proteger delas, como também para fazer parcerias com elas. Conhecer as potencialidades das novas tecnologias amplia a capacidade de pensar de forma criativa em soluções utilizando-a a nosso favor.

Fonte: http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/as-4-habilidades-do-futuro/114695/

Como dá pra ver, a Inteligência Criativa já é uma demanda.

Inovar, pensar fora da caixa, pensar em soluções diversas. O mercado de trabalho já exige isso fortemente.

Principalmente em profissionais que optam pela Engenharia.

Falando da minha experiência em específico, a vivência na indústria requer muita criatividade para pensarmos em soluções inovadoras, a baixo custo, com qualidade, segurança e sustentabilidade.

Acredite, hoje em dia, criatividade é imprescindível. 

E existe muita gente acreditando não ser criativo. Tem muitas pessoas pensando que criatividade é algo de outro mundo e que elas não têm isso.

Mas só uma alerta importante: Todos nós, como seres humanos que somos, temos criatividade.

Tudo é uma questão de prática...

Tony Robbins defende que "a repetição é a mãe da habilidade". E eu concordo...

Quanto mais você se expor a vivências que estimulem sua criatividade, mais criativo(a) você fica. Não tem segredos...

Cada um tem sua própria maneira de exercitar a criatividade. Descubra a sua...

Eu já percebi que minha forma de exercitar minha criatividade é contemplar o ambiente que estou e o que as pessoas estão falando/ fazendo. Em seguida, após observar, eu crio notas no celular refletindo sobre o que vi ou escrevo um texto aqui no blog. Hoje, eu percebo que a contemplação e a escrita são as minhas aliadas em uma vida mais criativa.

Reflita qual é o sua maneira de ser criativo(a) e exercite isso...

Pode ser que seu exercício de criatividade seja ouvir música, tocar um instrumento, escrever, observar, fazer algum exercício físico, ler, escrever em paredes... Enfim, uma infinidade de possibilidades.

Apenas se permita descobrir e viver isso.

Crescer em um ambiente onde eu poderia escrever em paredes me fez mais criativa. 

E hoje eu exploro isso. 

Através de uma amiga, descobri a arte do lambe lambe.

Deixamos nossa marca na parede da Escola Politécnica da UFBA, quando realizamos o Movimento #EngenhariaAlémDosCálculos, que tem o propósito de cocriar (junto com a instituição e os alunos) espaços de acolhimento nos meios universitários. Veja como ficou:

Parede de lambe lambe na Escola Politécnica da UFBA

Expandi a ideia para meu home office e, a partir de hoje, todo o conteúdo visual do o que aprendi na engenharia, vai ter um novo plano de fundo:

Parede de lambe lambe na minha casa

Escreva em paredes. Faça lambe lambe, Faça o que der na telha. Apenas se permita viver sua criatividade. Isso faz uma grande diferença no mercado de trabalho e, mais essencial ainda, faz uma tremenda transformação na vida.

Vou internalizando isso, torcendo por encontrar paredes vazias, precisando da vibração da minha criatividade...

Te desejo o mesmo.

"Cria, imagina, inventa, usa a parte colorida da tua massa cinzenta."

Gratidão!


Você está estudando/atuando na Engenharia?

Você sente que, como engenheiro(a), você precisa lidar com números, mas também com pessoas e emoções?

Você sente que houve/há falta deste tipo de conteúdo em sua formação?

Adicione doses de Programação Neurolinguística, Coaching, Produtividade e Empreendedorismo em sua vida profissional e se destaque:

QUERO IR ALÉM NA ENGENHARIA!

The following two tabs change content below.
Ana Luisa Almeida
Aprendiz da vida e da engenharia. Idealizadora do Projeto "O que aprendi na Engenharia". Jovem Ponte, Engenheira Química formada pela UFBA, atuando como Engenheira Trainee na Kordsa Brasil. Nascida para espalhar sorrisos e gratidão ao redor do mundo, com o Coração sempre no ritmo #GoGoGo.

Comments

comments

Gostou desse texto?

Se você quiser receber mais textos como esse, cadastre seu email abaixo! 

Nosso conteúdo é gratuito e feito com muito amor!

Pronto! A partir de agora você estará sempre conectado(a) com nosso conteúdo! Gratidão!