Reading Time: 3 minutes

Permita-se.

Ao final de uma das últimas palestras que ministrei em 2017, um jovem rapaz, na faixa dos seus 20 e poucos anos, me procurou e me fez uma pergunta interessante:

"Ana, eu estou perdido na Engenharia... E agora?!

Eu não sei o que eu quero..."

Eu me reconectei com esta sensação.

A incerteza. 

O sentimento de estar vivendo no automático, sem rumo, sem objetivo claro e direção.

Eu vivi o mesmo dentro da Engenharia.

Por um tempo, viver apenas para acordar cedo, ir para as aulas e então retornar para casa para fazer as listas, pareceu ser algo normal.

Até que o tempo passou e eu comecei a questionar o que eu estava fazendo com minha vida.

Eu não conseguia ver qual caminho ela estava tomando... A sensação que tinha era que eu estava em um trem desgovernado, sem rumo algum. E isso traz sensação de impotência...

Tristeza.

Mas teve um aprendizado imenso a partir desta sensação de "estar perdida dentro da engenharia".

A gente precisa se permitir viver algumas experiências, antes de encontrar as respostas que procuramos.

Experiências extracurricular e "extra engenharia" mesmo.

Hoje, eu vejo que a Ana que eu sou e que acabou "se encontrando" na engenharia é fruto das experiências diversas que eu me permiti (e me permito) viver.

Dentro da Universidade, como o nome já diz, existe um Universo de oportunidades que extrapolam nossa grade curricular e que nos fazem mais conectados com a nossa essência.

A gente só precisa se aproximar disso.

Participar dos eventos, das instituições estudantis. Enxergar o novo, conhecer pessoas. Deixar nossos julgamentos e estereótipos de lado.

"Se faz sentir, faz sentido". 

Se preencha desta certeza.

E não podemos ter pressa.

Um dos maiores aprendizados que tive nessa jornada, diante desta sensação de "estar perdida na engenharia", foi que não adianta ter pressa.

Você precisa se permitir viver as experiências e não ter pressa para achar as respostas.

Segue teu coração.

Vai experimentando e vê o que faz sentido ou não.

Em geral, escolhemos nossa profissão muito cedo, então, realmente precisamos nos permitir viver tudo aquilo que nosso coração sentir que precisamos.

Uma hora tudo se encaixa.

É um exercício de fé no que você quiser acreditar.

Apenas saia da sua rotina e se permita viver aquilo que faz sentido para você.

E não julgue. Não rotule como de "exatas"ou "humanas", apenas faça aquilo que você acredita que vai te edificar.

Escrever um blog. Estudar Programação Neurolinguística.

Tudo isso eu faço com o coração e me permiti descobrir enquanto estava na universidade. Muita gente questionava o fato de eu ser estudante de engenharia e ter um perfil tão "humanas". Só esqueceram de perceber que isso é tão inovador, que hoje é o meu maior diferencial dentro da engenharia...

Apenas permita-se.

Você vai ver que é a partir desta chance que você se dá, que a mágica da vida começa a acontecer.

Tudo se conecta.

Dedico este texto a todos aqueles que, de alguma forma, se sentem perdidos na Engenharia.

Que seu coração seja sua bússola e as experiências diversas a certeza de que o caminho que você quer está mais perto do que nunca (e pode ser na engenharia ou fora dela... E, ainda assim, está tudo bem).

Gratidão!


Você quer ir além na Engenharia?!

Se sim, clique no botão abaixo e se conecte com um conteúdo que vai alavancar sua trajetória na Universidade e até no Meio Profissional!

QUERO IR ALÉM NA ENGENHARIA!

The following two tabs change content below.
Ana Luisa Almeida
Aprendiz da vida e da engenharia. Idealizadora do Projeto "O que aprendi na Engenharia". Jovem Ponte, Engenheira Química formada pela UFBA, atuando como Engenheira Trainee na Kordsa Brasil. Nascida para espalhar sorrisos e gratidão ao redor do mundo, com o Coração sempre no ritmo #GoGoGo.

Comments

comments

Gostou desse texto?

Se você quiser receber mais textos como esse, cadastre seu email abaixo! 

Nosso conteúdo é gratuito e feito com muito amor!

Pronto! A partir de agora você estará sempre conectado(a) com nosso conteúdo! Gratidão!