Reading Time: 8 minutes

Esse é um daqueles textos que eu nunca imaginei que escreveria. Acredite, trabalhar no Complexo Industrial de Camaçari era a minha ultima opção profissional. Na verdade, eu não queria...

Até que mudei de ideia e hoje posso te contar, em detalhes, como é a rotina de quem trabalha em um Complexo Industrial. Se liga ai!

Muitos daqueles que optam pela Engenharia, assim fazem por conta da oportunidade de trabalhar em um Complexo Industrial.
Quando eu comecei a graduação em Engenharia Química, eu idealizava trabalhar na Petrobras. Tinha o script todo certo do que aconteceria.

Até que eu comecei a graduação, me desconectei de mim, tomei repulsa à minha escolha profissional (no futuro, eu descobriria que a minha repulsa era à universidade que escolhi e não à profissão) e não queria de jeito algum trabalhar numa indústria. De jeito algum. Eu tinha negação total à essa possibilidade.

Enquanto 80% dos meus colegas desejavam viver o sonho de trabalhar no Complexo Industrial de Camaçari, eu me afastava dessa possibilidade.

Logo quando eu voltei do intercâmbio, eu fui me convencendo que me formaria em Engenharia Química, mas não seguiria o caminho tradicional. Me via sendo uma engenheira trabalhando com Marketing Digital, atuando como blogger.
Ao retornar do intercâmbio, vivi um dia que mudou minhas decisões dali em diante.

Agendei um almoço com uma colega e um amigo. Meu amigo voltava do intercâmbio, assim como eu, e fomos encontrar essa colega que tínhamos grande apreço. Conversa vai, conversa vem, chegamos no tópico mais temido do momento: "Estágio".

Eu estava no 6˚ semestre naquele momento, nem cogitava procurar estágio. Estava bem tranquila quanto a isso. E já tinha tudo certo na cabeça: já que, para me formar, eu precisava ter uma vivência na engenharia química, eu ia procurar estágio na Embasa (- Empresa Baiana de Água e Saneamento - tratamento de água era uma temática que me interessava), pegaria as horas que precisava e sairia. Indústria, jamais.

"Ana, você não tem poder de escolha!!!! Está muito difícil achar estágio... Você tem que tentar qualquer coisa!!"

E foi assim que minha colega me apresentou a situação econômica que o país estava começando a viver ali. As vagas de estágio começavam a estar bem concorridas, a crise começava a bater nossas portas.

Eu queria me livrar logo da universidade, mas, para isso, eu precisava de estágio. E, pelo que foi dito, eu não tinha muitas escolhas. Se ficasse esperando a Embasa abrir vaga de estágio, poderia demorar, poderia não passar de imediato e minha formatura postergar.

Com isso, fiz o que não aconselho a ninguém, mas que acabou mudando minha vida: sai atirando para tudo que foi lado. Se era vaga de estágio para engenharia Química, eu aplicava. Corri o risco de ser infeliz por um tempo, mas foi a tentativa insana que tive para me formar logo. Tive sorte que deu certo, mas alerto: não faça isso.

E dentre todos os locais que eu poderia passar para estagiar, eu acabei sendo aprovada no estágio em uma indústria.
Estágio na área de processos de uma multinacional no complexo industrial de Camaçari.
O que para muitos seria momento de muita alegria, para mim, foi apenas hora de pensar:"ok, estagio por 6 meses e depois saio".

A história a partir daí foi longa e nos textos futuros, vou apresentá-la melhor. Mas como você já sabe, deu 6 meses, eu não sai, pelo contrario, me encantei pela vivência na indústria.

E é por isso que eu estou muito feliz em escrever este texto. Talvez, existem muitos universitários idealizando a indústria de um jeito que, na verdade, não é. Nossas aulas não reportam fielmente o que é a vivência de um engenheiro. Claro que, no meu caso, eu curti a rotina, mas, não sei se todos estarão aptos a isso.

Não trate minha perspectiva como verdade universal, mas como a forma que eu vejo tudo isso e uma maneira que, de alguma forma, pode te fazer esclarecer algumas dúvidas que você tenha. Agora, vou te apresentar maiores detalhes de como é a vivência de quem trabalha em um complexo industrial e precisa se descolar todos os dias, para uma cidade próxima (na maioria dos casos) para poder trabalhar:

1. Você vai ter acesso a ônibus fretado, que vai te levar até a indústria.

Do que tenho ciência, praticamente todas as indústrias do Complexo Industrial de Camaçari ofertam transporte para seus realizadores. Os ônibus são divididos em roteiros, que passam em pontos específicos de cada bairro das cidades adjacentes, que têm trabalhadores no Complexo Industrial de Camaçari. Os ônibus, em sua maioria, são executivos e são bastante confortáveis. Por conta do deslocamento e da recolhida de passageiros, os ônibus passam cedo nos pontos estabelecidos. De 5:30 hrs em diante já tem gente sendo recolhida.

Contando ida e volta, eu passo 3 horas do meu dia dentro do ônibus que me leva e busca do trabalho. Logo quando comecei essa rotina, ainda no estágio, eu tinha muita dificuldade de executar alguma atividade produtiva no ônibus, ficava enjoada com qualquer movimento. Mas, com o tempo, desenvolvi a habilidade de ler nesse trajeto. Quando estava na Universidade, muitos slides e apostilas de aulas foram lidos assim. Atualmente, aproveito o tempo para ler livros. Os livros que indico praticamente toda semana no nosso instagram (@oqueaprendinaengenharia) são lidos durante este tempo que fico no ônibus. E não só isso, aproveito também para fazer postagens e até para começar a escrita de alguns textos. Também aproveito para cochilar (rs). Hoje em dia, faço um bom proveito destas horas.

2. Alimentação é ofertada na maioria das empresas.

A maioria das empresas também ofertam alimentação. Algumas oferecem café da manhã e almoço sem ônus ao salário do  trabalhador. Em outros casos, só o almoço. De qualquer maneira, em todos os turnos de funcionamento da empresa, a maioria das empresas oferece alimentação como benefício. E o mais legal é que essa alimentação é acompanhada por um profissional de nutrição, garantindo que os nutrientes básicos necessários estão sendo ofertados a todos. Em algumas empresas, além do cardápio principal, há o cardápio mais saudável, que contempla aqueles que estão fazendo dieta.

Uma percepção pessoal que tenho é que, hoje em dia, temos muito mais fiscalização (a partir de auditorias dos órgãos que cabem) das cozinhas destas empresas. Isso é muito bom.

3. Você vai trabalhar em um local com muitos riscos, mas que é também muito seguro.

Simulado no Complexo Industrial de Camaçari - COFIC 2010
Fotos: Vaner Casaes / VC IMAGENS
Data: 14/09/2010

Trabalhar em um Complexo Industrial vem com um risco grande associado. As diversas indústrias que o compõem têm processos diferenciados e algumas possuem processos muito arriscados, com compostos químicos que podem causar danos irreversíveis. Assim, sabemos da periculosidade associada a essa escolha, mas sinto-me bastante confortável em trabalhar no Complexo Industrial de Camaçari.

Atualmente, se tem algo que as empresas respiram é SEGURANÇA. Onde eu trabalho, este é o principal valor da companhia e tenho certeza que não é só lá. As empresas do Complexo Industrial de Camaçari são muito focadas em Segurança e têm muitos órgãos hoje em dia que fiscalizam tudo isso. Além disso, temos os simulados de evasão em caso de emergências. Tem um simulado por empresa e também com todo o Complexo, onde todos precisam evadir suas respectivas empresas e se deslocarem para as vias de acesso do Complexo Industrial de Camaçari.

4. Existe suporte médico acessível.

Na minha visão de mundo, o cuidado com as pessoas que trabalham em um Complexo Industrial é algo muito forte. Cada empresa no Complexo Industrial de Camaçari tem um posto de serviço médico, onde os realizadores têm contato com profissionais da Enfermagem e também da Medicina. Nas contratações e também anualmente, cada trabalhador faz exame periódico para acompanhamento da saúde.

Além dos postos de serviço médico em cada empresa, existe também o PAME(Plano de Atendimento Médico de Emergência), que funciona 24 horas por dia, 7 dias na semana, atendendo casos mais graves dentro das empresas. Coincidentemente, o PAME do Complexo Industrial de Camaçari fica na empresa que eu trabalho, devido à localização central que ela tem, facilitando o acesso para todas as outras empresas.

5. Seus sábados/folgas serão dias importantes para cuidar de si

Hoje em dia, um dos maiores desafios que sinto em relação à rotina de trabalhar em um complexo Industrial é a questão de que, como trabalho em tempo integral em outra cidade (saio bem cedo e volto início da noite), fica mais difícil ter tempo durante a semana para ir ao médico, resolver problemas em bancos ou fazer qualquer outra atividade . Claro que, a depender da demanda que você tenha e da flexibilidade que exista na empresa que você estiver trabalhando, você consegue um dia ou horas de folga para resolver alguma questão importante.

De qualquer forma, a maioria das empresas do Complexo Industrial de Camaçari tem um dia de folga para todos aqueles que trabalham em horário administrativo. Isso é muito bom, porque nos ajuda a nos organizar melhor e a fazer rotinas que não conseguimos no dia a dia. Os sábados também são bem utilizados em relação a isso.


Para trazer uma perspectiva ainda mais aprofundada, trouxe um depoimento muito especial sobre essa rotina de quem opta por trabalhar em um Complexo Industrial (mais precisamente o de Camaçari-BA). Confira:

"A rotina de trabalho em um Complexo Industrial é algo a ser considerado na escolha da profissão e da área a ser seguida dentro da engenharia. Já vivenciei o trabalho no escritório e a engenharia do ponto de vista da gestão e agora estou vivendo pela primeira vez a rotina de chão de fábrica no meu primeiro emprego.
Primeiro que dormir 8 horas de sono não é mais uma opção (rs). Se você quiser tornar seu dia um pouco mais produtivo, é preciso aproveitar os horários de transporte para outras atividades, como ler e estudar idiomas, dormir um pouco mais ou até manter as séries em dia (rs). Apesar disso, não é impossível fazer outras atividades durante a semana, mas acredito que o segredo para isso seja disciplina. É preciso incluir essas atividades na sua rotina até que isso se torne parte essencial do seu dia, assim como acordar, se arrumar, trabalhar e comer. Foi assim que consegui incluir a atividade física na minha vida 5x por semana. E isso pode funcionar da mesma forma para um curso de idioma, por exemplo. Também é necessário procurar horários alternativos para suas atividades pessoais, como ir ao médico. Existem clínicas que atendem após às 18 h (horário que a maioria de nós - que mora em Salvador -  chega em casa) ou que atendem aos sábados. Os finais de semana, feriados e as folgas de mês precisam ser bem planejados também para não deixarmos de lado nossa vida social e familiar. A princípio é difícil de se adaptar e conheci pessoas que não conseguiram, mas tudo é uma questão de quais são seus objetivos profissionais e pessoais- inclusive, se é essa rotina que você quer, se você tem filhos, por exemplo ,é algo a ser levado em consideração. Para mim, a experiência que estou vivendo vale a pena porque a dinâmica da fábrica é ótima para quem não gosta de rotina, para quem gosta de ser desafiado com decisões de curto, médio e longo prazo. É algo que recomendo a todos os estudantes de engenharia química, pois vale a pena conhecer para avaliar se é isso mesmo que quer viver. Porém, acho essencial manter a cabeça aberta para diversas áreas, inclusive atividades de gestão que podem ser vivenciadas num escritório, pois a engenharia não se limita à vida da fábrica".

- Rafaela Romero, Engenheira Trainee de Processos na Kordsa Brasil.

Continue pesquisando sobre as possibilidades da sua área de atuação (se você tiver estudando engenharia química, leia este texto) e se tiver interesse, se sentir que este tipo de rotina se conecta com seus objetivos, tente estagiar ou trabalhar por um tempo em um Complexo Industrial. Essa experiência, com certeza, vai te ajudar a mensurar melhor se é esta rotina que faz sentido (ou não) para você. Se tiver mais alguma dúvida, escreva nos comentários, que eu vou te responder!

Caso você já trabalhe em um Complexo Industrial, não hesite em deixar sua experiência nos comentários! Seu depoimento pode ajudar a alavancar a vida de muita gente e a dar maiores instruções a quem tem dúvidas sobre essa rotina!

No próximo texto da série "Revelando os segredos da Engenharia", vou revelar um pouco da rotina de quem opta por estar Engenheiro(a) de Produção... Fique ligado(a)!!!

Gratidão!


QUERO IR ALÉM NA ENGENHARIA!

The following two tabs change content below.
Ana Luisa Almeida
Aprendiz da vida e da engenharia. Idealizadora do Projeto "O que aprendi na Engenharia". Jovem Ponte, Engenheira Química formada pela UFBA, atuando como Engenheira Trainee na Kordsa Brasil. Nascida para espalhar sorrisos e gratidão ao redor do mundo, com o Coração sempre no ritmo #GoGoGo.

Comments

comments

Gostou desse texto?

Se você quiser receber mais textos como esse, cadastre seu email abaixo! 

Nosso conteúdo é gratuito e feito com muito amor!

Pronto! A partir de agora você estará sempre conectado(a) com nosso conteúdo! Gratidão!