Reading Time: 9 minutes

Ser engenheiro químico é que nem ser um mutante na série x-men: nenhum é igual ao outro. Os poderes são diversos...

Semana passada, eu estava no trabalho, quando, de repente, o setor de Recursos Humanos (RH) convidou os engenheiros trainees para conversarem com a Diretora Global de RH, que estava visitando nosso site aqui no Brasil (a multinacional que eu trabalho tem sede na Turquia).

Ao encontrar com os trainees, ela nos recepcionou e começou a se apresentar. Confesso que antes mesmo desta conversa, eu já estava vivendo um encanto pela profissão que escolhi e esse depoimento me fez ter muito mais brilho nos olhos. Acredite, a Diretora Global de Recursos Humanos de uma multinacional têxtil, com sede em países como Turquia, Brasil, Indonésia, Tailândia e Estados Unidos, é Engenheira Química. A Diretora Global de Recursos Humanos da indústria que eu trabalho é Engenheira Química. (A ênfase foi proposital, para mostrar o quanto eu fiquei em êxtase ao saber disso. Eu achei incrível!).

Ela atuou como Engenheira nas áreas de Produção e Processo, teve cargos de gerência e esse ano foi escolhida como Diretora Global de RH, sem nunca ter vivenciado nada nessa área. Quem olha o currículo dela superficialmente, pode achar sem nexo ter uma Engenheira sendo líder do RH de uma grande empresa. Quem olha profundamente ao que ela fazia como Engenheira, entende e sabe que esta foi uma excelente escolha. Engenhar nada mais é do que se tornar uma versão melhor de você mesmo e de inspirar outras pessoas a viverem isso também.

Na Engenharia Química, eu venho compreendendo a fundo esse significado.

O Engenheiro Químico será um profissional facilmente encontrado na área indústrial, isso é verdade. Mas, como pode ver, as possibilidades de atuação são infinitas!! (até no RH podem nos encontrar rs)

Antecipo que, nesta série de textos, "Revelando os segredos da Engenharia", eu vou trazer pontos de vistas, opiniões, que extrapolam os meus. Afinal de contas, nada é de um jeito só, tudo pode ser visto a partir de diferentes ângulos.

Eu me tornei Engenheira Química em janeiro de 2017 e atuo como Engenheira trainee de produção, em uma indústria têxtil no complexo industrial de Camaçari, na Bahia. Na universidade, aprendi sobre projeto de trocadores de calor, reatores, torres de destilação e, hoje, eu trabalho entendendo o funcionamento de teares e retorcedeiras industriais. Aprendi isso na UFBA? Não, rs. Mas aprendi a entender máquinas,  a estudar e a manter a curiosidade viva. Porque isso que é ser também um(a) engenheiro(a) químico(a): ter curiosidade aguçada e disposição para aprender, afinal de contas, nunca saberemos tudo. Sempre há uma oportunidade de irmos além.

Atuando na área de produção, eu preciso estar atenta aos indicadores, resolvendo problemas pontuais da produção, para garantir que tudo saia nos conformes (desse modo, rotina existe, mas imprevistos são muito frequentes, o que torna tudo mais divertido rs). Também sou responsável pela condução de projetos de melhorias para a área, de forma a garantir redução de custos, produtividade e qualidade do produto. No meu caso em especial, lido diretamente com um time de quase 65 pessoas. Imagine ai? 65 mundos diferentes, com ambições diferentes, medos diferentes e formas de ver o mundo únicas. Acolher, motivar e alavancar esse grupo tão diverso é um dos maiores desafios que tenho hoje e que tem me feito me aperfeiçoar diariamente. Na minha visão de mundo, saber lidar com pessoas e emoções é pré requisito para todo engenheiro e, na área de produção, isso tudo é extremamente necessário. Nessa série de textos, eu pretendo me aprofundar na área de produção, apresentar a realidade e desmitificar também alguns mitos.

Anteriormente à experiência na área de produção, eu lidei com Engenheiros Químicos na área de Processos (que foi a área a qual eu estagiei). O conhecimento e a visão geral de todo o processo, o foco na otimização do mesmo e foco na qualidade do produto foram pontos fortes que vi no engenheiro que atua nesta área. Onde trabalho, esses engenheiros também são os responsáveis pela relação com os clientes. Então, além das habilidades de análise, boa comunicação é ponto necessário.

No site onde trabalho, existem engenheiros químicos na área de produção, processos, segurança e qualidade. Os engenheiros químicos (na verdade, vejo que os engenheiros, independentemente de formação), são profissionais muito cogitados pelo pensamento rápido e flexibilidade de atuação.

O incrível desta profissão é que conheço engenheiros químicos atuando na indústria, mas também conheço muitos que vão além disso: marketing, gestão de pessoas, consultoria, vendas, empreendedorismo. Daria para escrever um livro com tudo que é possível para quem escolheu esta profissão.

Me formar em Engenharia Química me fez sentir como uma mutante da série x-men (rs). Todos são rotulados como mutantes, mas o que fazem é pura diversidade. Muitos são rotulados engenheiros químicos, mas o que fazem é pura diversidade. Para aprofundar ainda mais este ponto, vejam  estes depoimentos de Engenheiros Químicos que conheço e que estão atuando em diversas áreas, dentro e fora da indústria. Perguntei a eles o que é ser engenheiro químico, baseado-se nas experiências que vivem. E essas foram as respostas:

Acredito que a primeira imagem que vem na nossa cabeça  sobre o engenheiro químico é um profissional com um capacete no meio de uma planta petroquímica. Mas, pra mim, ser engenheiro químico é ter a capacidade de aprender praticamente qualquer coisa, ser analítico e se adaptar em diferentes ambientes desde analista em banco de investimento a CEO de uma empresa área.

Para mim existem 3 grandes mitos quanto a ser um engenheiro químico:

1 - Vamos sair da faculdade preparados para atuar em qualquer processo ou produção, mas não. Estagiei em um consultoria segurança de processos, e pude visitar algumas empresas e seus processos produtivos. Cada processo é único e não sabemos praticamente nada sobre eles ou sua complexidade até estar lá trabalhando por algum tempo. Quando cheguei na 3M como trainee, recebi projetos na manufatura e ouvi as pessoas falar de equipamentos como cortadeira, salameira, encartuchadeira e só pensava "o que é esse mundo que eu nunca vi na faculdade?!". Mas, a beleza, como eu disse no inicio, somos preparados para aprender. O grande ensinamento, é deixar o orgulho de lado e a postura de já sei tudo e começar a questionar cada etapa até entender.

2 - O segundo mito é que engenheiros não precisam lidar com pessoas ou não precisam ter grandes habilidades nessa área. Quem escolheu a engenharia por isso, ou terá que se desdobrar muito para mudar ou nunca será um profissional relevante. Em qualquer área que você atua, pessoas são tudo! É preciso muito mais, desde saber conversar do operador ao diretor; é preciso estar preparado para engajar as pessoas da logística ao laboratório.

3- Estamos presos ao chão de fábrica. Que as operações e processos tem sua mágica, eles tem; mas não são o único caminho que podem trazer brilho nos olhos a um engenheiro químico. E eu acho isso lindo. Muitos colegas estão em áreas do RH, marketing, logística, negócios, investimentos, além dos que decidiram ser professores, concursados, empreendedores e etc. Acredito que ser um excelente engenheiro é ser um excelente profissional em qualquer área. - Géssica Carvalho, Trainee da 3M.

 

Uma das partes mais divertidas sobre ser um Engenheiro Químico é justamente explicar o que é ser um Engenheiro Químico. A maioria das pessoas me pergunta como está o trabalho no laboratório, quando na verdade eu raramente piso os pés em um. Uma das formas que usaria para explicar o que faz um Engenheiro químico é fazer uma analogia com o trabalho de um maestro: ele entende os sons de cada instrumento, consegue capturar o melhor de cada profissional que utiliza estes instrumentos e é capaz fazer com que estes elementos trabalhem em conjunto para produzir melodias que mexem com os nossos sentidos. Para o engenheiro químico trabalhando com a produção, mudam-se as peças, mas o jogo é mesmo. Temos as matérias primas que irão resultar em produto, os equipamentos por onde estas matérias primas irão sofrer transformações físico-químicas, temos as pessoas que irão operar estes equipamentos e obviamente o elemento monetário que irá controlar quanto de produto é produzido. Cabe então ao Engenheiro Químico o papel de maestro: entender como cada um dos químicos e equipamentos funcionam, gerenciar o time que irá fazer a mágica acontecer com o menor custo de produção possível ao mesmo tempo em que cuida para que todas estas operações sejam seguras para as pessoas que operam e para a sociedade de maneira geral. Isso soa como música aos meus ouvidos. Hoje trabalho como Engenheiro de Produção (Run Plant) de uma indústria química e o cotidiano é muito semelhante ao que já foi descrito, adicionando os desafios diários que requerem tomadas de decisão rápidas que são baseadas em conceitos que aprendemos na universidade, custos, segurança das operações e de pessoas e otimização dos recursos. Esses desafios são a melhor parte do meu trabalho! Apesar das rotinas, um dia nunca é igual ao outro e isso me motiva diariamente a acordar cedo para enfrentar mais uma jornada de trabalho. - Geraldo Dionisio, Engenheiro de Produção para Environmental Operations na The Dow Chemical Company

O que o Engenheiro Químico faz? 

Espero nunca conseguir responder à essa pergunta usando uma única sentença! Quanto mais resumida e objetiva consegue ser a descrição do que você faz, maior a probabilidade de você ser substituído por uma máquina. 

Parece distante, mas a Quarta Revolução Industrial tá logo aqui. Os robôs se aproximam cada vez mais do ser humano. 
E o que a gente tem feito?
Estamos encurtando esse caminho pra eles. Estamos fazendo o caminho inverso, seguindo o protocolo.
Como assim? 
A neurociência comprova que o cérebro busca seguir os caminhos onde os padrões mais se repetem. Por exemplo, já percebeu o número de pessoas na sua turma que querem atuar em Processo e Produção?
Pois é.
Aí eu te pergunto? Quanto de você quer isso? Se a resposta não for 100%, te convido a repensar a direção e o sentido desse caminho.
Um diploma de engenharia é uma chave que abre muitas portas. Mas você não precisa entrar na primeira a se destrancar. Escolha seu cômodo favorito. O lugar onde você se sente mais à vontade, onde pode ficar confortável e ser você mesmo.
Una seus talentos inatos às competências adquiridas na universidade. E aqui vale tudo! Tem talento criativo? Que tal atuar em uma área que te permita exercitar isso todos os dias? 
Tem o dom para se comunicar? Já pensou que frustração passar a maior parte do tempo sem expressar isso?
O que você acha de fazer uma fusão entre a técnica aprendida na universidade e o seu coração?
A boa notícia é que a Engenharia Química te dá "N" oportunidades para usar seus talentos. Não faltam opções de áreas.
Me formei tem um ano. Estou concluindo pós em Segurança de Processo. Mas descobri que minha paixão é impactar pessoas. É vê-las sendo a sua totalidade em 100% do tempo. 
Hoje eu optei por não atuar na área e enquanto muitos opinam dizendo que é um "desperdício", que "engenharia dá dinheiro", eu agradeço todos os dias por conseguir unir o que aprendi a quem eu sou e aplicar isso onde eu estiver.
Ninguém joga nada fora.
Robô nenhum vai roubar meu espaço. 
E o seu?Isadora Corrêa, Engenheira de Pessoas, Idealizadora do Projeto Masterpiece, apaixonada por autenticidade e Analista na Accenture Brazil.

Até hoje me param e perguntam com cara de espanto: "Nossa, você é engenheira? Deve ser inteligente... e o que está fazendo no RH? Que desperdício..."
E eu respondo que a Engenharia está na cabeça e que no coração existe propósito para o que você quiser.
Ser Engenheira Química para mim é ter orgulho de tudo que eu conquistei por conta da minha formação: fui trainee, supervisora e hoje sou Coach e trabalho cuidando de gente!
Na faculdade aprendi que a engenharia é muito mais do que números e processos químicos, é você entender que tudo na vida precisa de começo, meio e fim como o fluxo de uma linha na indústria. A engenharia me ensinou a ter a razão na hora que precisei e o raciocínio lógico para pensar coerente e tomar a decisão certa quando a vida me mostrou o caminho para seguir rumo ao meu propósito.
Por isso que hoje digo que tenho orgulho do que faço, pois cuido de gente com o coração de uma pessoa que tem talento para entender e desenvolver pessoas, mas com a cabeça de engenheira que extrai das pessoas o melhor que elas podem para alcançar melhores resultados.
Seja engenheiro dos seus sonhos! Não tenha vergonha do que pulsa no seu coração e muito menos preconceito de fazer o que te move e aquilo que você sempre fez bem! Assuma o comando da sua vida... trabalhando como engenheiro ou não, porque, por mais que você queira, a engenharia nunca vai sair de você 😉 - Alanna Sales, Analista de Aprendizagem e Desenvolvimento na BRF, Coach Pessoal e Profissional e Idealizadora do workshop "Mapa da Mina".

 

Pelas diferentes áreas de atuação possíveis, definir o que é ser engenheiro químico é um desafio e tanto. Neste texto, tentei passar diferentes percepções, mas já deu para ver que são muitas opções. Simplesmente se aventure a conhecer...

Para quem pretende se aventurar nessa profissão, o aprendizado de línguas (principalmente o inglês), Excel, Office, conhecimentos de ferramentas da qualidade, controle estatístico de processo, podem ser diferenciais muito importantes e vão te ajudar a ser um melhor profissional. Mas, o essencial mesmo é se autoconhecer. Ver quais são seus pontos fortes e o que tem a se desenvolver. Reconhecer seu propósito e objetivos e ver como eles se encaixam com esta profissão, seguindo o seu coração...

Resumidamente,

Ser engenheiro químico é que nem ser um mutante na série x-men: nenhum é igual ao outro. Os poderes são diversos...

E, na verdade, nunca houve mistério. Ser Engenheiro Químico é uma profissão tão fora da caixa, que não se contenta com uma definição, preconizada por um único indivíduo. A engenharia química vai ser sempre definida pelos corações e experiências daqueles que se permitem vivê-la. Não tem certo nem errado, tem o que cada um se permite experimentar nesse universo de tantas possibilidades...

Parece mágica.

Gratidão!



QUERO IR ALÉM NA ENGENHARIA!

The following two tabs change content below.
Ana Luisa Almeida
Aprendiz da vida e da engenharia. Idealizadora do Projeto "O que aprendi na Engenharia". Jovem Ponte, Engenheira Química formada pela UFBA, atuando como Engenheira Trainee na Kordsa Brasil. Nascida para espalhar sorrisos e gratidão ao redor do mundo, com o Coração sempre no ritmo #GoGoGo.

Comments

comments

Gostou desse texto?

Se você quiser receber mais textos como esse, cadastre seu email abaixo! 

Nosso conteúdo é gratuito e feito com muito amor!

Pronto! A partir de agora você estará sempre conectado(a) com nosso conteúdo! Gratidão!