Reading Time: 5 minutes

"Empreender é se jogar de um precipício e construir um avião durante a queda" – Reid Hoffman, cofundador do LinkedIn

Este texto poderia ser escrito para todos aqueles que desejam empreender. Mas eu preferi ser bem específica e direciona-lo para aqueles que desejam empreender e que ainda estão na Universidade.

Eu me conectei de verdade com o empreendedorismo quando ainda era universitária e, desde então, minha vida mudou. E a repercussão desta escolha foi além da minha trajetória...

Empreender tem esse poder, então, mais do que nunca, precisa ser estimulado.

Neste primeiro texto, escrevi 5 dicas (de 10) para quem deseja empreender e ainda está na Universidade (mas vale lembrar que estas dicas valem para todo mundo que tem esse desejo no coração, beleza? Vamos lá!):

1.O que você precisa, o outro também precisa.

Sabe por que eu criei o projeto "o que aprendi na engenharia"?

Em 2013, perdida na Engenharia, sem rumo algum, eu fui ao Google, procurando uma palavra de alguém na engenharia que tivesse vivido o mesmo que eu. Sei lá, eu só queria encontrar algum depoimento, alguém para me dizer que tudo aquilo era passageiro ou simplesmente que dissesse que estava passando pelo mesmo, para que a gente pudesse conversar.

Passei várias páginas de busca do Google e quase nada encontrei.

Quando eu decidi criar o "o que aprendi na engenharia", eu só queria queria ser para o outro, aquela pessoa que eu procurei em 2013 e não encontrei. Eu queria que quando um estudante de engenharia abrisse o Google e procurasse alguma palavra de ânimo, ele me encontrasse. Foi por isso que eu comecei escrevendo e empreendendo tudo isso aqui.

A dor que você tem, acredite, não é inédita a você. Existe mais alguém nesse mundo vivendo algo parecido.

Se você realmente estiver a fim de empreender, compreenda que o que você precisa, o outro também precisa. O que você deseja, o outro também deseja. Projete um produto ou experiência que seja aquilo que você quer. Pode ter certeza, isso também será útil a milhões de outras pessoas.

O que você precisa?

Pronto, com essa pergunta, você já tem uma boa bússola de como pode começar no caminho do empreendedorismo.

2.Paixão > Medos

Eu tinha muito medo em publicar textos na internet. Essa exposição é também um ato de coragem de expor meu coração, dores e alegrias ao mundo. Confesso que, para mim, que sou uma pessoa que valoriza muito a privacidade, esse era um dos meus maiores medos ao começar a empreender online.

Até que eu me conectei com o fato de que se uma única pessoa fosse ajudada a partir do que eu queria dividir com o mundo, isso tudo faria meu coração saltitar. Assim, eu reconheci a paixão que tenho pela ideia de todo esse projeto e permiti que essa paixão fosse maior do que os meus medos. Ao dar essa permissão, tudo começou a fluir.

Ao cogitar empreender, você terá prós e contras. Mas você precisa permitir que sua paixão seja maior que seus medos. A ideia que você tem é o que alguém está precisando. Não deixe que seus medos falem mais alto do que o teu coração e a necessidade do outro.

Você pode mudar o mundo. Não permita que seus medos te impeçam disso.

3.Deseje impactar uma pessoa... Isso já é grande.

Em tudo que eu faço em meus projetos de empreendedorismo, eu sempre penso algo:

Se impactar uma única pessoa, tudo isso já valeu.

Se um texto impacta uma vida, já valeu.

Se uma palestra ajuda uma pessoa, já valeu.

Se o livro "o que aprendi na engenharia" fortalece uma pessoa, já valeu.

Eu não faço as coisas imaginando impactar multidões. Se isso acontecer, ótimo!! Eu acredito muito no poder do individual reverberando no coletivo. Começamos a mudança em um e, de pouquinho em pouquinho, ela alcança a todos.

O que você pode fazer hoje e que pode impactar uma pessoa?

Pronto,  a partir dessa pergunta, o caminho começa a se abrir.

4.Estude & Planeje & Persista

Empreender demanda que a gente estude sobre gestão, estratégia e que a gente planeje metas para o nosso negócio. Esse bê a bá você encontra fácil em livros e na própria internet e realmente recomendo que você se aprofunde nisso. Ter clareza sobre o negócio e o cliente que você vai interagir é conhecimento bastante necessário.

Mas, desse ponto, eu queria chamar a atenção para a importância de você persistir neste sonho. Você vai conciliar a ideia de um negócio com sua carga horária de aulas, estágio e atividades extracurriculares. Tenha força.

Quando eu comecei a empreender este blog, eu tinha uma rotina que começava 5 da manhã e só parava lá para às 7 horas da noite. Assim, eu defini que só escreveria textos na sexta de noite. Era muito puxado, mas eu me mantive comprometida com os objetivos que eu determinei a este negócio. Persisti neles.

Ao começar a empreender na Universidade, você vai precisar ser resiliente (a engenharia já nos ensina um pouco disso haha). Persista. Lá na frente, tudo se conecta e vale a pena. Eu tenho vivido isso...

5.Permita-se conhecer pessoas

Como estamos focando no empreendedorismo universitário, eu fico feliz em compartilhar com você que a Universidade é um dos melhores ambientes para empreender, porque, a partir dela, você pode conhecer seus futuros sócios, clientes, fornecedores e por ai vai.

O que não faltam na Universidade são instituições, organizações e eventos que poderão abrir infinitas portas. Um networking riquíssimo.

Muito do que mudou minha vida foi frutos das conexões que criei na Universidade. E essas conexões foram bastante importantes na minha caminhada no empreendedorismo.

Em um evento, você ouve falar de marketing digital. Na empresa júnior, você conhece mais de gestão. Em outra oportunidade, você conhece alguém que te indica pessoas para seguir e se conectar. Somando todas essas experiências, você começa vendo o mundo de um jeito que nunca viu e criando ideias e produtos que vão revolucionar vidas.

Minha vivência na Empresa Júnior foi crucial na minha iniciação no Empreendedorismo. Ali, minha mente se expôs a algo novo que me trouxe grande parte dos insights que hoje consigo compartilhar. O movimento empresa jr te faz olhar com mais atenção para eventos, networking e leituras engrandecedoras. Mas não apenas essa experiência promove isso. Dentro da Universidade, temos várias atividades extra curriculares que nos conectam a pessoas, que, a partir de conversas, dicas, vão nos trazendo mais luz e guinada nessa arte.


Empreender não é um ato fácil. E ainda conciliar Empreendedorismo e Universidade é uma jornada muito intensa. Mas tudo depende da disposição e da vontade que nasce no teu coração. Eu decidi me arriscar nesse caminho e não me arrependo. Conheço pessoas que fizeram o mesmo e também não se arrependem.

Se você tem esse desejo, se permita.

Mais uma vez, lembro que não será fácil, mas, se for de coração, valerá a pena.

Se curtiu estas dicas, deixa teu comentário nesse texto e compartilha com os teus amigos!

Em breve, vem a continuação dessas dicas!

E como sempre, estou à disposição para te ajudar! Se tiver dúvidas ou precisando de alguma luz, chega mais, vamos conversar! =D

Gratidão!

P.s.: Um dos frutos da minha jornada de Empreendedorismo na Universidade é o livro "o que aprendi na engenharia". Escrevi tudo aquilo que eu acho pertinente para a nossa profissão e que é totalmente negligenciado na Universidade. Conheça nossa ideia, clique aqui! Afinal de contas, a Engenharia vai além dos cálculos...

The following two tabs change content below.
Ana Luisa Almeida
Aprendiz da vida e da engenharia. Idealizadora do Projeto "O que aprendi na Engenharia". Jovem Ponte, Engenheira Química formada pela UFBA, atuando como Engenheira Trainee na Kordsa Brasil. Nascida para espalhar sorrisos e gratidão ao redor do mundo, com o Coração sempre no ritmo #GoGoGo.

Comments

comments

Gostou desse texto?

Se você quiser receber mais textos como esse, cadastre seu email abaixo! 

Nosso conteúdo é gratuito e feito com muito amor!

Pronto! A partir de agora você estará sempre conectado(a) com nosso conteúdo! Gratidão!