Reading Time: 4 minutes

Você ficará chocado(a) com o quanto de coisas que temos em excesso...

Você já ouviu falar da metodologia 5s?

Eu a conheci quando ainda estava na Empresa Jr (EJ)... Tinha noções básicas sobre e lembro até que fiz um curso online do Sebrae, o D-Olho na Qualidade: 5s para os pequenos negócios (recomendo a quem tiver interesse). Recordo-me também que, lidar com o 5s na Empresa Jr., não foi muito fácil, nem todos animavam com a ideia (e como liderança responsável pela área que precisava tomar conta disso, reconheço que essa conscientização foi um desafio grande). Tanto foi que, quando fui Diretora Administrativo Financeira da EJ, decidimos por adotar tudo o que o 5s prega, mas sem mencionar esta bendita sigla em nosso meio. É como dizem por aí, a gente vivia o milagre, mas não dizia o nome do santo (rs).

O tempo passou, me tornei Engenheira Trainee de uma Multinacional. Atuando na área produtiva, passei a ter contato com a metodologia de Manutenção Produtiva Total, o famoso TPM (Total Productive Maintenance). Para quem não conhece, segue uma definição bem resumida:

O termo TPM foi definido originalmente pelo JIPM (Japan Institute of Plant Maintenance) e é um método de gestão que identifica as perdas existentes no processo produtivo e administrativo, maximiza a utilização do ativo industrial e garante a geração de produtos de alta qualidade a custos competitivos. (Fonte: https://www.citisystems.com.br/o-que-e-tpm/)

A primeira fase que vivemos dentro do TPM é exatamente a Metodologia 5s. E essa vivência trouxe à tona os aprendizados que tive na Empresa Júnior, mas sendo bem sincera, dessa vez tem sido uma experiência muito mais profunda.

Em primeiro lugar, onde eu trabalho nós somos instruídos por um especialista em TPM que vem diretamente do Japão, todo o mês, para nos treinar. Inicialmente, eu me perguntava por que trazer um japonês para essa atividade. No Brasil, devemos também ter muitos bons profissionais na área. Mas hoje eu entendo claramente o porquê: Os japoneses têm uma mentalidade que, sinceramente, até os brasileiros mais bem treinados ainda não desenvolveram. Muita coisa que a gente reconheceu como normal, para eles, nem existiam.

A metodologia 5s se implanta na seguinte ordem:

Cada S se origina de uma palavra japonesa, com os significados descritos na imagem acima.

Vivendo essa realidade na área em que trabalho, eu comecei a me desafiar a trazer isso para dentro da minha casa. Fácil não é, mas eu já tinha determinado que 2017 seria o ano do desapego (não no sentido negativo da palavra, mas sim mais voltado à visão budista da mesma). Então, comecei o desafio...

Comecei a implantar na minha casa o Seiri. Há alguns meses, descartei tudo aquilo que não tinha mais utilidade e que estavam em minha mesa de home office. Já tinha preenchido uma caixa com coisas que não usava mais. Eu já tinha achado muito. Muita coisa não era mais útil para mim, mas será que não poderia ser para outra pessoa? Enquanto não tomei essa ação de analisar a utilidade das coisas, talvez lá fora alguém tenha sofrido por não ter acesso ao que eu tinha e nem precisava...

Esse final de semana, eu e minha irmã expandimos o 5s para o nosso quarto e o de visitantes. E eu fiquei chocada com o tanto de coisa acumulada e sem utilidade que nós tínhamos.

Eu decidi doar mais da metade dos meus tênis.

Separei metade do meu guarda roupa para doação também.

Eu sempre reclamei que não tinha espaço para todos os meus tênis, sempre dizia que tinha que comprar uma sapateira para comportar todos eles, mas o que percebi esses dias é que, na verdade, eu não precisava de uma sapateira, eu simplesmente não precisava ter aquele tanto de tênis, eu não estava usando nem a metade deles. Quantas pessoas poderiam estar usando eles enquanto eu os acumulava?

Um amigo sugeriu que eu envie a uma Corporativa... Devo fazer isso!

Ter dado esse primeiro passo na metodologia 5s foi libertadora. Liberei espaço, organizei mais minha casa e ainda vou ajudar o outro. Descartados o que não utilizávamos mais, partimos para  o Senso de Organização (Seiton), deixando cada coisa em seu devido lugar. Agora é manter, focando no senso de Limpeza (Seiso).

A metodologia 5s é bastante difundida no meio corporativo atual. Ano passado, quando ainda era estagiária na empresa em que sou trainee atualmente, nós realizamos um 5s em um dos armazéns da fábrica. Com simples ações, reduzimos nosso capital de giro e economizamos na casa de milhares de dólares. Dá para crer? Pois é... Dentre todas as filiais no mundo, ganhamos até um prêmio em reconhecimento a essa ação! Mas com certeza o ganho maior que tivemos foi ter aprendido tudo isso e sermos estimulados a viver assim.

Aos futuros e atuais engenheiros, vale a pena estudar esse método, mas não é só uma questão profissional. Vale a pena expandir esta mentalidade para a vida pessoal.

5s não é só uma metodologia, mas sim um estilo de vida...

Estou aprendendo a vivê-lo. Como sou muito criativa, existe uma dificuldade maior em manter minhas mesas organizadas, mas aí que está a graça da vida: nos desafiarmos...

Vem comigo?

“Com organização e tempo, acha-se o segredo de fazer tudo e bem feito.”  -Pitágoras

Gratidão!

QUERO IR ALÉM NA ENGENHARIA!

The following two tabs change content below.
Ana Luisa Almeida
Aprendiz da vida e da engenharia. Idealizadora do Projeto "O que aprendi na Engenharia". Jovem Ponte, Engenheira Química formada pela UFBA, atuando como Engenheira Trainee na Kordsa Brasil. Nascida para espalhar sorrisos e gratidão ao redor do mundo, com o Coração sempre no ritmo #GoGoGo.

Comments

comments

Gostou desse texto?

Se você quiser receber mais textos como esse, cadastre seu email abaixo! 

Nosso conteúdo é gratuito e feito com muito amor!

Pronto! A partir de agora você estará sempre conectado(a) com nosso conteúdo! Gratidão!