Reading Time: 3 minutes

Começa quando você é ainda criança.

"O que você vai ser quando crescer?"

Alguns já vão reconhecer seu chamado desde então, outros serão tão perdidos quanto eu era.

O tempo vai passando, você entra na escola.

"Passou em todas as matérias?"

"Passou de ano direto?"

Coitados daqueles que tiverem que dizer não a essas perguntas. Provavelmente, vão precisar "engolir" um grande olhar de desaprovação.

Chega o ensino médio. 3˚ ano. Vestibular.

"Já decidiu o que vai fazer?"

"Vai tentar qual universidade?"

Ai daqueles que escolherem os cursos menos "badalados". Se não for medicina, direito ou engenharia, vão te perguntar por que e ainda vão passar um bom tempo tentando te convencer a mudar de ideia.

E todos aqueles que eram bons alunos no ensino médio ainda vão precisar lidar com a decepção que família e amigos terão quando disserem que não vão fazer medicina.

Nesse ponto, faço um breve desabafo. Eu decidi fazer engenharia química, minha irmã gêmea, medicina.

Das milhares de pessoas que perguntaram o que iríamos fazer da vida, apenas uma questionou minha irmã sobre o por quê dela não querer engenharia química. Todas as demais, sem exceção, me questionaram por que eu não fazia medicina também. Vai entender...

Ai você passa no vestibular. Começa sua vida universitária...

"Como estão as notas?"

"Já arranjou um namorado(a)?"

"E o estágio?"

"Forma quando? Já tá na hora né?!"

Até que a hora chega. Você se forma.

"Já conseguiu um emprego?"

"Vixe, vai ficar parado esse tempo todo?"

Você arranja um emprego. Às vezes, a pressão é tanta que você acaba aceitando qualquer coisa, só para não ter que ouvir mais essa pergunta.

Só que as cobranças não param...

"Já foi promovido(a)?"

"Vai aumentar o salário quando?"

"E a família... quando vai namorar/noivar/casar? Tá ficando velho(a) já..."

Nunca vai parar.

As cobranças da sociedade nunca vão cessar. Elas são intermináveis. E o lance é que a sociedade não respeita o seu tempo. Parece que tudo tem que acontecer da noite para o dia, se não, você fracassou.

Na maioria das vezes, nós até estamos felizes com as nossas escolhas, mas as pessoas não se contentam com o que a gente já definiu que é o melhor para gente. Existe uma mania em cobrar, em questionar, em pressionar. E nessa onda, eu tenho visto muita gente deixando seus eixos e vivendo sem rumo.

De uma vez por todas, entenda algo: A sociedade nunca vai parar de cobrar. As cobranças da sociedade são intermináveis.

Só que preste atenção em algo: A escolha é sua se você vai deixar o ruído dos outros soar mais alto que as batidas do seu coração.

A escolha é sua.

Sociedade, estou saindo da gaiola que me impõe. Eu nasci para voar...

"Tira o N do MUNDO. Deixa MUDO. Passa a ouvir teu coração..." - Ana Luisa Almeida

Gratidão!


Texto dedicado à minha tia/mãe Laninha, que me fez essa excelente reflexão no almoço de domingo.


Você deseja saber lidar melhor com você mesmo e com suas emoções?
Você deseja manter relacionamentos mais saudáveis dentro e fora da Engenharia?

Adquira o livro "o que aprendi na engenharia"

Conheça o livro "o que aprendi na engenharia"! Porque Ser Engenheiro é saber lidar com números, mas também com pessoas e emoções.
Livro em formato digital, por apenas R$10,00:
Quero comprar meu livro agora!
The following two tabs change content below.
Ana Luisa Almeida
Aprendiz da vida e da engenharia. Idealizadora do Projeto "O que aprendi na Engenharia". Jovem Ponte, Engenheira Química formada pela UFBA, atuando como Engenheira Trainee na Kordsa Brasil. Nascida para espalhar sorrisos e gratidão ao redor do mundo, com o Coração sempre no ritmo #GoGoGo.

Comments

comments

Gostou desse texto?

Se você quiser receber mais textos como esse, cadastre seu email abaixo! 

Nosso conteúdo é gratuito e feito com muito amor!

Pronto! A partir de agora você estará sempre conectado(a) com nosso conteúdo! Gratidão!