Reading Time: 5 minutes

 

Na primeira parte deste texto, eu compartilhei 5 dos 10 conselhos que eu queria ter tido quando fui caloura de Engenharia. Neste novo texto, vou compartilhar os 5 conselhos restantes! Se liga aê:

 

6 - Foque no lado bom das coisas.

Eu me considero uma pessoa otimista. Mas te confesso que, quando se tratava de assuntos relativos à minha vivência na Universidade, eu criei um bloqueio e sempre via as coisas numa perspectiva negativa. Isso não foi e não é bom. Por mais caótica que seja a situação que você enfrente na Universidade, você precisa exercitar o hábito de focar nos pontos positivos, porque, acredite, eles sempre existem.

Hoje, quando olho para trás, eu sou muito grata pelas notas ruins que tirei e por ter estudado em uma Universidade que não atendeu as minhas expectativas. Foi por conta de tudo isso que eu comecei um processo essencial em minha vida: o de olhar para dentro e me auto conhecer, reconhecendo melhor minhas fraquezas, fortalezas e meu propósito de vida.

Em tudo na vida, algo bom sempre vem. A gente só precisa aprender a reconhecê-lo e apreciá-lo. Guarde isso.

7 - Deixe uma contribuição na sua Universidade.

Quem me conhece sabe que eu não tive um relacionamento muito harmonioso com a Universidade que estudei Engenharia Química. Achava muito tedioso o formato das aulas, a burocracia instalada em tudo e achava absurda a carga horária imposta.

Só que assim, enquanto eu foquei nestes pontos, eu adotei a posição de vítima, tudo continuou o mesmo e eu só sabia reclamar, achando que minha vida estava tomando um rumo totalmente contrário ao que eu queria (tudo bem que, naquela época, nem eu sabia direito  o que eu queria da vida, rs).

Até que eu comecei a perceber que mudar minha universidade seria algo que demandaria muita energia e tempo. Passei a ser líder, percebi que poderia começar uma mudança mais importante e que realmente faria sentido: mudar a forma como eu enxergava tudo isso, fazendo de mim a mudança que eu queria ter naquele lugar.

Então, hoje, a universidade a qual estudei provavelmente está a mesma universidade a qual entrei, mas eu mudei e mesmo já estando formada, tenho me esforçado para deixar uma transformação nesse ambiente, a partir da mudança de mentalidade de todos os universitários que estão por lá ou que ainda se engajarão. Esse esforço começou ainda quando eu era universitária e vem se refletindo através dos textos deste blog, do livro que escrevi e da parceria que estamos firmando agora, onde posso garantir que vamos promover uma vivência na universidade que nunca foi vista antes.

A universidade que você escolheu talvez tenha muito a melhorar. As pessoas que vão estar ao teu lado, talvez, precisem de palavras e abraços. Muita coisa pode precisar de mudança e muito provavelmente esse poder de transformação está em você. Ao invés de reclamar, faça melhor: Inove. Deixe sua contribuição na sua Universidade.  Você pode ser exatamente a pessoa que está faltando para alcançarmos essa mudança que eu tenho previsto em nossa educação. Seja protagonista. Não se acomode.

8 - Você vai se decepcionar e está tudo bem também.

Se teve algo que eu aprendi um pouco na Universidade foi sobre como saber viver. Eu me lembro que ainda quando caloura, aos 17 anos, eu cheguei em casa chorando e disse à minha mãe: "Você não me ensinou  a viver...".

Naquele início, onde tudo era muita novidade, eu também me decepcionei. Me decepcionei com pessoas e com o que eu idealizava de curso... Vivi decepções que claramente vieram por expectativas que criei.

Eu poderia te dizer para não criar expectativas (que nem eu vivo dizendo aos meus amigos haha), mas lá no fundo eu sei que não criar expectativas é algo quase impossível, a gente apenas precisa saber equilibrar. Então, não alimente excesso de expectativas, mas caso elas existam e elas não se cumpram, simplesmente aceite a decepção. Mais cedo ou mais tarde isso acontece na vida e está tudo bem. Adquira os aprendizados e siga em frente. Quando eu sofri essas decepções que estou te contando, eu achei que era o fim do mundo, sendo que, na verdade, foi uma oportunidade boa de me auto conhecer. Como te disse, sempre há um lado bom nas coisas. Às vezes, demanda tempo enxergar isso, mas sempre tem. Sempre.

Se ao chegar na Universidade, você sofrer decepções (provavelmente vai), siga em frente. Está tudo bem.

Está gostando desse texto?

Está gostando desse texto?

Cadastre seu email abaixo e receba mais conteúdos como esse!

Deu tudo certo! Agora, você receberá nosso conteúdo exclusivo diretamente em seu e-mail!

9 - Não faça generalizações. Antes de julgar, conheça.

Geralmente, aqueles que decidem por estudar Engenharia Química idealizam o estágio dos sonhos como uma vivência em uma indústria multinacional. Em determinado período do curso, eu comecei a achar que tudo que fosse realmente ligado à graduação que eu escolhi seria chato (reflexo da percepção falsa que criei a partir do que eu achava das minhas aulas na Universidade). Desse modo, enquanto muita gente queria ter a oportunidade de estagiar no Complexo Industrial de Camaçari (uma cidade que fica na região metropolitana de Salvador), eu tinha pavor disso. Eu achava que poderia ser insuportável acordar muito cedo para ir trabalhar e acreditava que a vivência em si seria muito chata.

Até o primeiro semestre de 2015, eu pensava isso. Nessa época, fiz um processo seletivo de estágio para uma multinacional têxtil que fica nesse complexo industrial, mas só estava tentando aquilo porque,  logo quando eu voltei do intercâmbio, todo mundo me dizia que eu não tinha opção de escolher meu estágio, o que viesse eu precisava pegar, porque o cenário econômico já não estava legal. Eu acreditei nessa lorota e acabou que, nesse mesmo período, eu fui aprovada neste processo seletivo. Seria estagiária em uma indústria multinacional. O que para muitos seria motivo de muita vibração, para mim, foi a oportunidade de fazer as contas: vou ficar 6 meses, pegar as horas que preciso para cumprir a grade e depois saio. Eu realmente julgava como negativa uma vivência assim.

E é por conta dessa experiência que eu gosto de enfatizar esse aprendizado: Não faça generalizações. Antes de julgar, conheça. Inacreditavelmente, eu estagiei nessa indústria por 1 ano e 7 meses. Esta experiência acabou rompendo meus preconceitos, me encantou e mudou toda a minha trajetória na Engenharia Química. E mais que isso, a partir dessa oportunidade de estágio, logo depois que me formei, participei de um outro processo seletivo e agora sou Engenheira Trainee dessa indústria. Se eu continuasse alimentando aquela falsa crença de que trabalhar no Polo seria algo chato, eu não teria conquistado tanta coisa, conhecido tanta gente legal, aprendido mais sobre a vida e a Engenharia, nem teria tido o grande crescimento pessoal e profissional que tive nos últimos meses.

Então, antes de julgar, viva, conheça. Às vezes, por experiências que nem sempre são nossas, a gente julga algo como negativo sendo que, na verdade, é a partir dessa experiência que a gente pode viver algo extremamente engrandecedor e transformador. Não se limite. Se permita.

10 - Crie a sua história.

Todos estes conselhos que eu queria ter recebido quando fui caloura de engenharia, eu realmente espero que te iluminem ainda mais e te tragam insights poderosos durante sua trajetória universitária. Mas em tudo que eu escrevo, eu gosto de enfatizar algo: tudo isso faz sentido para mim (Ana). Pode ser que para você não. Então, absorve aquilo que você acredita, que faz sentido para você e segue em frente. Crie a sua história.

Nós somos seres humanos únicos, então, desejo que você mantenha tua luz acesa e trilhe o caminho que realmente faz teu coração vibrar. Independente de qualquer coisa, essa fase que você inicia agora vai ser uma experiência única. Então, simplesmente Aproveite!

P.s.: 11 - Aprenda inglês (no mínimo)... Acho que vai vir outro texto sobre isso! haha

Gratidão!

The following two tabs change content below.
Ana Luisa Almeida
Aprendiz da vida e da engenharia. Idealizadora do Projeto "O que aprendi na Engenharia". Jovem Ponte, Engenheira Química formada pela UFBA, atuando como Engenheira Trainee na Kordsa Brasil. Nascida para espalhar sorrisos e gratidão ao redor do mundo, com o Coração sempre no ritmo #GoGoGo.

Comments

comments

Gostou desse texto?

Se você quiser receber mais textos como esse, cadastre seu email abaixo! 

Nosso conteúdo é gratuito e feito com muito amor!

Pronto! A partir de agora você estará sempre conectado(a) com nosso conteúdo! Gratidão!