Reading Time: 6 minutes

 

Eu amo escrever. Desde que percebi que através da escrita eu posso impactar vidas, a escrita passou a ser minha companheira inseparável. O ato de escrever tem me conectado com pessoas e emoções incríveis. Assim, decidi que chegou a hora de escrever um livro.

Desde a primeira semana de janeiro de 2016, eu escrevo semanalmente neste projeto que chamei de "O que aprendi na Engenharia". Eu escrevo minhas inquietações, desafios e aprendizados nesta jornada. E você nem imagina o quanto eu cresci até aqui.

É muita gratidão envolvida por tudo que eu já vivi dentro da Engenharia.

Foi na Engenharia, que eu me conheci melhor e passei a ter mais empatia em relação ao outro. Foi nessa jornada que me conectei com ferramentas como o Coaching e a PNL, que me ajudaram a enxergar a vida e as situações através de outra perspectiva.

E nessa vibe de gratidão, eu decidi que eu queria retribuir o que eu estou vivendo. E eu vi na criação de um livro essa oportunidade. Se com essa obra eu conseguir impactar uma única vida, já valeu a pena.

Já faz algumas semanas que eu estou escrevendo este livro, só que eu percebi que não queria escrevê-lo sozinha. Como sempre tenho dito, o que mais me motiva a me engajar neste projeto, não é só a incomodação a ação para um melhor ensino de engenharia no nosso país, é também a partilha. É a oportunidade de troca que tenho com pessoas de diversos lugares do país. A cada comentário, curtida e feedback que recebo, eu aprendo e vou me sintonizando mais com a frequência da realização pessoal e profissional.

Então, eu pensei em desenvolver um processo de criação diferente para esse livro. Toda sexta-feira eu vou liberar um capítulo do livro e você vai poder revisar, dar sugestões, complementar o debate, e o mais importante, você também vai aprender.

Neste livro, eu estou compilando todas as lições de PNL, Coaching e Vida que eu tive/tenho ao estudar engenharia.

Estou contando contigo nessa missão, beleza?

Já defini os capítulos, veja se você gosta dos temas:

Livro “O que aprendi na Engenharia.  Muito mais que Limites e Derivadas, uma lição de vida.

SUMÁRIO

Texto Introdutório: “Ao Estudar Engenharia, eu deixei de sonhar”

Prefácio

Capítulo 1: Qual é o sentido mesmo? 

Capítulo 2: O que aprendi na Engenharia sobre Mindset:

2.1 Líder x Vítima

2.2 Estudos sobre Desenvolvimento Pessoal (Livros que mudaram minha vida) 

2.3 Meditação (Controle da mente / Poder do Agora)

2.4 Âncoras (Atinja estados emocionais positivos em instantes)

2.5 Metamodelos (mude sua mente e a dos outros)

Capítulo 3: O que aprendi na Engenharia sobre Fisiologia:

3.1 Conheça um estudo de Harvard sobre o impacto da fisiologia em seu desempenho

3.2 Fisiologia x Emoções x Linguagem

3.3 Como minha fisiologia me ajuda no estágio e na Universidade

Capítulo 4: O que aprendi na Engenharia sobre Relacionamentos:

4.1 Empatia (não seja artificial, independente do que você sabe sobre pessoas)

4.2 Lições aprendidas no livro "Como fazer amigos e influenciar pessoas"

4.3  Rapport ( e como essa técnica me ajuda no estágio e na Universidade)

Capítulo 5: O que aprendi na Engenharia sobre Hábitos:

5.1 A Tríade do Hábito

5.2 Dor x Prazer

5.3 Técnica Switch da PNL (mude hábitos com o poder da sua mente)

5.4 Ressignificando - Técnica PNL (Ressignifique suas experiências traumáticas)

5.5 Hábitos que mudei/adquiri e que impactaram minha jornada na engenharia

Capítulo 6: Em resumo, O que aprendi na Engenharia? (Um compilado de todos os outros capítulos)

Capítulo 7: O que vai ser a partir de agora? (Meus planos futuros e um chamado para você executar o que aprendeu)

Gostou do que eu pensei em abordar no nosso livro?

De coração, eu quero construir esse livro junto contigo, então, se você acredita que algum tema deveria ser adicionado/retirado, gentilmente, deixa seu comentário! 🙂

Para aquecer, segue o #Prefácio:

Quer participar da criação do nosso livro?

Quer participar da criação do nosso livro?

Cadastre-se seu e-mail abaixo e receba os capítulos dessa obra, que vai mudar sua vida!

Deu tudo certo! Agora, você receberá nosso conteúdo exclusivo diretamente em seu e-mail!


Prefácio

Desde criança eu sonho em escrever um livro.

Já tentei começar várias histórias, mas nenhuma delas fez meu coração pulsar ao ponto de terminá-las.

Eu imaginava que escreveria um livro de ficção. Crônicas, talvez.

Passava horas em devaneios, buscando a inspiração.

Só que o tempo passou.

E a inspiração não chegou.

Até que eu comecei a estudar Engenharia Química na UFBA.

Eu nunca imaginei isso, mas a verdade é que foi vivenciando o Ensino Superior Brasileiro, em especial a Escola Politécnica da UFBA, que eu ganhei a inspiração para criar este meu primeiro livro.

Eu poderia tentar defender uma bandeira de que ser estudante de engenharia no Brasil é uma vivência muito boa. Mas seria hipocrisia da minha parte não te dizer que existem muitos pontos negativos inseridos nessa jornada.

Eu sou uma pessoa bastante otimista, quem me conhece sabe. Mas, te confesso: não foram poucos os dias que eu estive cabisbaixa, reclamando da vida, da minha graduação.

Trazendo minha vivência na Engenharia para o Plano Cartesiano, nos primeiros anos, você veria uma parábola de concavidade para baixo. Hoje, já consigo dizer que vivo uma reta linear e crescente.

E talvez você me pergunte: Mas Ana, por que tantas oscilações assim?

O sistema não colabora, mas eu me permiti ser influenciada por ele.

Então, cheguei na Universidade certa de que eu estava realizando um sonho, só que, em alguns poucos semestres, eu já não conseguia me reconhecer como quem eu realmente sou. Comecei uma fase de muita tristeza, atrelada a uma falta de vontade em vivenciar o curso que eu tinha escolhido.

Até que houve uma reviravolta.

Conectei-me com conhecimentos e pessoas que mudaram minha vida.

Eu percebi que o sistema era falho, mas eu entendi que o quanto ele influenciava na minha vida era exclusivamente uma escolha minha.

Foi nessa reviravolta que passei a traçar uma reta linear e crescente na minha trajetória na engenharia.

E ai, com essa vivência toda, eu ganhei a inspiração para este livro.

Eu comecei a perceber que o que eu vivi não eram experiências inéditas a mim.

Eu entendi que eu precisava espalhar pelo mundo o que eu aprendi e que me deu um novo rumo. Hoje eu sei que tem muitos estudantes de engenharia precisando se conectar com esse conteúdo.

Comecei escrevendo textos em uma publicação no medium.com que chamei de “o que aprendi na engenharia. Mais que limites e derivadas, lições de vida”. A cada novo texto, eu recebia mensagens, feedbacks que me estimulavam a continuar. Muita gente se conectava comigo me contando como o que eu disse fez sentido para elas e as ajudaram.

Assim, comecei a entender melhor minha missão aqui no Planeta Terra:

“Ajudar estudantes de engenharia a realizarem sonhos. Espalhar sorrisos, beleza e gratidão na Engenharia.”

Escrever este livro, me conectar com você em algum lugar do mundo através dessa palavras é a materialização não só de um sonho, mas também do meu propósito de vida.

Eu quero fazer desse livro um bate papo entre duas pessoas que se entendem por terem vividos experiências semelhantes. Eu sempre tive dificuldade de me abrir em casa. Não tem pessoas em minha família que estudaram engenharia química e que viveram o que eu passei.

Chegar em casa e contar que tirei 1 em uma prova que me acabei de estudar poderia soar como desleixo e irresponsabilidade. Eu não queria passar essa imagem.

Chegar em casa e contar o terrorismo que o professor colocou nos alunos antes daquela prova poderia soar como “drama”.

Poucas pessoas de fora da engenharia entendem o que eu falo.

E eu percebi que me conectando e conversando com meus colegas de graduação era de certa forma motivador, porque estando no mesmo barco, a gente se ajuda, pensa em formas viáveis de não permitir que o barco se afunde.

Então, eu quero que esse livro te permita isso. Eu vou te contar coisas que não sei nem se cheguei a contar à minha irmã, uma das minhas maiores confidentes (sem esquecer dos demais). Esse é um espaço de entrega. Eu espero de coração que você se permita ser verdadeiro consigo aqui, entendendo que não há julgamentos.

Espero de coração que o que eu falar seja um combustível para te motivar, trazer disciplina para o seu sonhos e te fazer mais conhecedor(a) de quem você é e de qual é a sua essência.

Eu me perdi dentro da Engenharia.

Mas foi ai também que eu me encontrei e consegui adotar uma vida que eu não imaginava que eu poderia levar.

Que, de alguma forma, eu te faça enxergar a vida de outro jeito.

Com o decorrer da leitura a gente vai se entender melhor.


E ai, gostou?

Quais são suas sugestões?

Muito feliz de estar dividindo esse momento especial da minha vida contigo. Gentilmente, Espero suas sugestões e feedbacks.

Do fundo do meu coração,

Gratidão!


Você deseja saber lidar melhor com você mesmo e com suas emoções?
Você deseja manter relacionamentos mais saudáveis dentro e fora da Engenharia?

Adquira o livro "o que aprendi na engenharia"

Conheça o livro "o que aprendi na engenharia"! Porque Ser Engenheiro é saber lidar com números, mas também com pessoas e emoções.
Livro em formato digital, por apenas R$10,00:
Quero comprar meu livro agora!

 

The following two tabs change content below.
Ana Luisa Almeida
Aprendiz da vida e da engenharia. Idealizadora do Projeto "O que aprendi na Engenharia". Jovem Ponte, Engenheira Química formada pela UFBA, atuando como Engenheira Trainee na Kordsa Brasil. Nascida para espalhar sorrisos e gratidão ao redor do mundo, com o Coração sempre no ritmo #GoGoGo.

Comments

comments

Gostou desse texto?

Se você quiser receber mais textos como esse, cadastre seu email abaixo! 

Nosso conteúdo é gratuito e feito com muito amor!

Pronto! A partir de agora você estará sempre conectado(a) com nosso conteúdo! Gratidão!